sábado, 19 de junho de 2010

pensamento ilhéu-tardio

tenho sentimentos contraditórios em relação às ilhas do litoral moçambicano. Inhaca, Bazaruto e Quirimbas.
adorava tê-las conhecido. cheguei a sonhá-lo (quanto à Inhaca). mas não aconteceu. recentemente desejei conhecê-las, hoje com este olhar e este afago. e sonhei-o, ó se o sonhei... mas não aconteceu.
sofro de ciúmes quando vejo uma foto, quando delas leio, quando noto um 'Gosto' tão suspeito dum amor que não partilhei, que por dentro todo o passado não vivido se me rói e, no meu hoje, estremeço.
«somos todos ilhas à procura de arquipélagos», disse-me certa vez o poeta luso-moçambicano Luis Carlos Patraquim. e eu hoje reflicto sobre ilhas e isto, e concluo que quando os amores não são vividos na idade própria tornam-se um caso de psicanálise.

(post com inspiração em comentários feitos no Facebook)

1 comentário:

Isabel Ribeiro disse...

Numa longa viagem de carro Quelimane / Lourenço Marques no regresso me deleitei a visitar a Ilha Sta Carolina... O fundo do mar se via num mar límpido empestado de tubarões... As outras um dia, ainda pode ser dia...