quarta-feira, 5 de novembro de 2008

a dura realidade



Ok. Ganhou o Obama. Estou contente. Mas fiquei triste ao ler isto: é verdade. Di-lo ele e dizem-no todos que conhecem a realidade. A puta da realidade.

Ok, viva à eleição de Obama. Inegável. Felizmente, pois a alternativa (muito principalmente a vice-alternativa) eram inconcebíveis se se quer andar para a frente sem necessariamente isso significar que para fazê-lo tem de se pisar os Outros.

Pena é o que li. Mesmo já sabendo-o hoje a realidade doeu especialmente.



(imagem daqui. vénia)

2 comentários:

lili disse...

Velho como o mundo, este racismo contra os mestiços. Não admira que o Obama tivesse de lutar para a saber que, afinal, era a ele próprio que pertencia, e depois ao mundo.

Carlos Gil disse...

qualquer racismo é abjecto, Lili. não consigo escaloná-los. incluindo o mais vulgar, o "social".

agora esperemos que com Obama os pequenos passos se tornem maiores. como li hoje já não sei em que blogue, o que a Europa precisa é de revistas do social a noticiarem que uma princesa europeia se irá casar com um africano. ou um príncipe. seria cirurgia de choque.